domingo, 10 de agosto de 2014

Há setenta anos, em Lisboa


Devo ao notável blog Malomil a carinhosa lembrança: há setenta anos que Clarice Lispector esteve em Portugal. Tinha lido, até por causa da minha intervenção sobre a sua escrita que há meses tive na Casa de Fernando Pessoa e cujo texto arquivei neste blog, excertos das notas que deixou sobre essa passagem por Lisboa. 
Nunca tinha, porém, sentido, na forma da sua irrequieta caligrafia, a presença sentimental ainda que na superficialidade do que lhe foi dado viver. Não é grandiloquente para nós, até porque é incompleto [ver tudo aqui]
«Uma das melhores coisas interiores é sentir que hoje ainda não é amanhã, que amanhã fatalmente virá, mas que hoje é inteiramente hoje», escreveu. Nisso se resume o essencial.

Nenhum comentário: